top of page

Candidatos progressistas apresentam suas propostas na ASDEP

Atualizado: 30 de set. de 2022

Dando continuidade às visitas dos candidatos ao governo do Estado e ao Senado Federal na ASDEP, na noite desta segunda-feira (26) o candidato Luiz Carlos Heinze (PP) e a Comandante Nádia (PP) apresentaram seus planos de Governo e de mandato aos associados. Como ocorre tradicionalmente, o candidato ao Executivo apresentou suas propostas para temas como o endividamento do Estado e o Regime de Recuperação Fiscal (RRF), as reformas administrativa e penal, bem como os direitos adquiridos pelos servidores públicos, a crise econômica enfrentada pelo IPE e os pagamentos dos precatórios.

Heinze quer investir no ensino profissionalizante no Estado, através de parceria com as universidades e o Sistema S (Senai, Sesc, Sesi e Senac). “Vamos oportunizar os cursos técnicos em áreas como da Tecnologia da Informação para gerar desenvolvimento”, destacou. Também apoia o aparelhamento das polícias e a valorização das forças de segurança. “Quero oportunizar novos negócios e simplificar o processo de desburocratização para isso, rever a questão tributária tão necessária para os novos empreendimentos. Enfim, quero retomar o desenvolvimento. Tenho uma história de muito trabalho que se reflete nas minhas entregas. Tenho experiência e sei como fazer”. Ao apresentar uma radiografia das finanças do Estado, o candidato progressista classificou a dívida do Rio Grande do Sul como “impagável”. “Vamos conversar com a União e rever essa dívida. Proponho a união dos quatro principais estados devedores do país para que possamos iniciar esse acerto. Além da Assembleia Legislativa, vou contar com uma junta governativa para fiscalizar todas essas ações aqui no Estado. Para o próximo ano, já se sabe que o RS tem um déficit de R $3.7 bilhões. O que pretendo fazer primeiro é reequilibrar as contas para depois retomar os investimentos”, assegurou. O presidente em Exercício da ASDEP, Delegado José Carlos Weber, lembrou que o senador Heinze foi o autor da emenda de Paridade e Integralidade da Aposentadoria Especial do Policial Civil na PEC 06/19 da Reforma da Previdência. “Meu compromisso é com o diálogo. Vou conversar com as categorias. Quero avaliar cada uma das suas necessidades e ver como podemos viabilizar recursos na carreira de delegado, por exemplo”, disse o candidato ao governo gaúcho. Quanto à crise enfrentada pelo Instituto de Previdência do Estado (IPE), garantiu que não quer a extinção da instituição. “Vamos fazer a gestão para médicos e usuários e equilibrar receita e despesas”, disse ele. Para outras questões como o pagamento dos precatórios, o candidato defendeu o reequilíbrio das contas públicas e a transparência da realidade financeira do Estado. “Somadas as dívidas com a União, precatórios, inflação de todos esses anos, chegamos a R $100 bilhões. Só tem um jeito: trabalhar para organizar as finanças e devolver a autoestima da nossa gente”, destacou.

Candidata a senadora, a Comandante Nadia reforçou a importância da representatividade da segurança pública nos legislativos. “No Senado temos chance de ter uma porta aberta de uma colega e co-irmã. Vocês me conhecem e sabem o quanto considero a segurança pública baluarte para o desenvolvimento. Por isso, precisamos que os políticos tratem a segurança como prioridade e o melhor, ainda, é ter alguém da área como representante”, afirmou. A candidata ressaltou que é a única a apresentar um plano de mandato. “Não podemos ter improviso em um mandato de oito anos. Por isso, deixo aqui meu planejamento com cinco principais compromissos”, disse ela, defendendo também a integralidade e paridade para todas as policiais.



61 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page