top of page

Como voto de confiança no Governo, Delegados voltam a dar entrevistas e divulgar operações


Como um voto de confiança dado ao Governo Eduardo Leite, Delegadas e Delegados do Rio Grande do Sul decidiram suspender o silêncio e a medida que paralisou fornecimento de dados, divulgação de operações e concessão de entrevistas. A decisão foi tomada em Assembleia Geral da classe, nesta segunda-feira (13/11), no início da noite. A decisão ocorre após o Governo ter recebido a ASDEP e aceitado iniciar negociação sobre recomposição das perdas salariais.


“É um voto de confiança. Iniciamos nossa mobilização e o Governo parece que entendeu e nos recebeu, criou um canal de diálogo. Na próxima quinta-feira (16/11), teremos uma reunião com a Secretaria Estadual do Planejamento. Agora, se as negociações evoluírem para óbito, tomaremos medidas mais agudas, certamente. Temos uma grande defasagem salarial e estamos há dez anos sem aumento digno”, salientou o presidente da Associação dos Delegados de Polícia do RS, Delegado Guilherme Wondracek.


Recentemente, no dia 9 de novembro, após mais de duas horas de conversa com entidades que representam os servidores da Polícia Civil, o Governo do Estado comprometeu-se a criar uma mesa de negociação para estabelecer um cronograma de reajuste salarial, o qual deve ocorrer a partir do início de 2024, quando o Estado deve deixar o limite prudencial. O compromisso foi formado pelo  Chefe da Casa Civil, Arthur Lemos, em reunião com a ASDEP. Além de representantes da diretoria da Associação dos Delegados de Polícia, o encontro teve a participação de outras entidades representativas da PC.


Recentemente, Delegadas e Delegados da Polícia Civil decidiram não divulgar mais detalhes de operações policiais e número de prisões para a imprensa e em redes sociais, bem como não conceder mais entrevistas. A medida, decidida em Assembleia Geral da categoria, realizada no fim de outubro, com participação de centenas de Delegados e Delegadas, foi uma forma de protesto pela inexistência de diálogo com o Governador Eduardo Leite no sentido de negociação e valorização da carreira. O tensionamento decorre da crescente insatisfação nos últimos meses entre servidores da área da segurança pública com o Governador Eduardo Leite, que não recebe as categorias para negociar, no entanto, divulga rotineiramente os excelentes resultados da segurança pública. Delegados e Delegadas da Polícia Civil acumulam perdas salariais significativas.

1.311 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page